Hellraiser, Clive Barker


Título: Hellraiser

Autor: Clive Barker

Editora: Darkside Books

Páginas: 159 [9] (al. il.)

Ano: 2015 (1. ed. 1986)

Formato da leitura: livro em papel

Sinopse: OS CENOBITAS ESTÃO CHEGANDO. Escrito em 1986, Hellraiser – renascido do inferno apresentou ao público os demoníacos Cenobitas, personagens criados por Clive Barker que hoje figuram no seleto grupo de vilões ícones da cultura pop, como Jason, Leatherface ou Darth Vader. Toda a perversidade desses torturadores eternos está presente em detalhes que estimulam a imaginação dos leitores e superam, de longe, o horror do cinema.

Explicação necessária da loucura pelo livro: Desde que vi no Blog da Bárbara, eu fiquei ma-lu-ca. Estava com um pedido aberto no Sub, e incluí, na mesma hora.

A verdade é que eu adoro histórias de terror e horror. De ler. Porque eu não consigo assistir a um filme sequer do gênero. Invariavelmente, eu acabo com as mãos diante dos olhos, tentando ver por uma frestinha entre os dedos, e com minha companhia escolhida (alguém acha que eu veria isso sozinha???) tendo que narrar os fatos do filme à medida que acontecem.

INCLUSIVE, para sanar minha curiosidade sobre as histórias dos filmes de terror, eu encontrei um site que conta o final dos filmes. Issaí, o final. É trapaça? Não acho! Eu não veria o filme de qualquer forma…

Quanto aos livros… aí é outro assunto!

Quando eu vi o livro do Hellraiser, eu pirei. Eu conheço todas as referências a ele, mas para ser muito sincera, eu não o assisti. Sim, julguem-me! Mas eu sou uma tremenda de uma cagona, e sei que vou ter pesadelos com os Cenobitas por diiias. Então, essa era minha chance, agora ou nunca! Fora que a edição da DarkSide Books é maravilhosa, né? Capa dura, preto com dourado, o livro é superfotogênico.

Meta de leitura: Outubro
Não consegui tirar UMA foto que realmente faça jus à capa

COMPREI!!

Opinião: O livro conta a história de Frank, um jovem de índole duvidosa, que já teve de tudo, já experimentou de tudo, e não é estimulado por mais nada (nem sexualmente falando). Ouve falar de uma certa caixa que, quando seu segredo é descoberto, desvenda um mundo de prazeres e delícias inimagináveis. Ele põe as mãozinhas na caixa, prepara o ritual, e… bem, & os Cenobitas encontram ele.

Para quem, como eu, não havia visto o filme, e entendia as coisas levemente errado: o Pinhead, o famoso com a cara cheia de preguinhos, é um dos Cenobitas, não o personagem principal! Eu fiquei “:O” quando percebi isso, porque é tão icônico, né?

Resenha: Hellraiser
Búu! Se você não lembra/conhece o Pinhead… nice to meet u
Continuando… Frank fica preso no mundo dos Cenobitas, recebendo o que ELES chamam de prazer. Uma puta história para se lembrar quando alguém falar para você que gosta de “um lance diferente”… nem a “História de O” iria tão longe 😉

Algum tempo depois, o irmão e a cunhada de Frank vão morar na casa em que todo esse encontro aconteceu. Julie não é lá muito feliz, e descobrimos depois, é fútil e mesquinha. Rory, o marido… bom, Rory é um bobão, encantado com a aparência da esposinha.

Julie está entediada, pensando em como foi bom pegar o irmão do marido (às vésperas de casar!), quando descobre seu espectro no quarto fechado da casa. A partir daí, sua missão é tirá-lo do limbo em que se encontra para que possa ser feliz nos braços de seu “quase-algoz-amante-de-um-dia-só”. Claro que ela não sabe no que está se metendo, nem o que será preciso fazer para trazê-lo de volta, nem “quens” irão reivindicar Frank caso ele consiga voltar.

A partir daí o ritmo é bem rápido, a história se desenrola, e descamba para um final não esperado, que me agradou bastante.

Morta de amores! Já estou com mais dois livros do autor na agulha para ler – assim que acabar minha meta de leitura de outubro, que ainda conta com… dois livros. Sim, só o que tenho feito é trabalhar & ler ;), dormir é para os fracos!

Eu gostei muito da história. Li durante minha hora de almoço, quase me embananei lendo (só um pouquinho!!) escondido durante o horário de trabalho (minha chefe não lê aqui não, né?), e fiquei até duas da manhã sem conseguir largar o livro (saio do trabalho quase meia-noite, nem foi taaaanto assim, vai?). Terminei e pensei: “Ahhhhhh, já????”

Fora que o livro é liiiindo, né? Só a DarkSide para fazer isso, nós nem sabíamos o quanto precisávamos dela antes! Bj, sua editora linda!

Num é lindo? O miolo, as ilustrações, a contracapa imitando marmorizado <3!

Fiquei bastante satisfeita, até vi o trailer do filme – a história é realmente bem fiel, apesar das pequenas diferenças já assinaladas por todos que viram ambos – não vou falar delas aqui porque, né? Não vi!

Recomendo muito. Mesmo para quem, como eu, não vê os filmes por motivos de: frouxidão crônica.

Um comentário

  1. Também fiquei surpresa com o fato de que o Pinhead é apenas mais um dos Cenobitas, realmente esperava ele ter mais destaque. Excelente resenha!
    ps: amei as fotos!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s