Planejando 2016 II: Projetinhos

Como disse antes, eu sou A LOKA das listas de virada de ano. Não consigo resistir, meu cérebro se ocupa até com listas de listas de coisas para fazer ^.^

Minha orientadora me convenceu a terminar o mestrado. E com isso, toda uma gama de planos que eu tinha enfiado em um buraco e tapado com uma pedra beeeem pesada, achou brecha para escapar. Planos que guardei porque seriam muito trabalhosos, porque têm muita probabilidade de não se concretizarem – e eu me frustrar.

Mas quem não faz por medo de se frustrar é covarde, né? E se tem coisa que eu NÃO SOU é covarde (dá pra ver que eu era uma daquelas crianças meio burras que viviam se estrepando quando um coleguinha falava “DU-VI-DO!!!”)!

Então eu abracei forte minhas pirações, falei um “bem vindas de volta” cheio de amor, dei um tapinha no bumbum, e joguei pra dentro de novo. É tão mais fácil quando a gente aceita nossa maluquice intrínseca, né?

(voz de vilão de desenho animado) Eis os planos:

 

Projeto literário 1: Meta – 52 livros

PREMISSA: Podem ser de literatura, não-ficção, ou técnicos

Eu sempre imponho uma meta, geralmente baseada na leitura de um livro por semana. Mas, diferentemente dos anos anteriores, esse ano eu VOU SIM contar a leitura de livros técnicos da minha área.

(Tudo bem que, geralmente, o que eu leio para meus trabalhos são artigos científicos, e esses fica mais difícil de mensurar (taí, porque não? Vou passar a contar quantos artigos eu li também!). )

Eu sempre achei que colocar livros assim na lista era uma trapaça, MAS, esse ano, eu tenho muito planos profissionais para serem colocados em prática, e eles incluem a leitura de muita, muita coisa. E sim, eu leio livros e textos técnicos por prazer, tanto quanto os de literatura e não-ficção.

Projeto literário 2: Bibliotecando

PREMISSA: Frequentar mais, e ler mais livros de Bibliotecas (a que eu trabalho NÃO CONTA!)Como bibliotecária por formação, e bastante ativa, eu sou defensora ferrenha das bibliotecas. Um lugar onde você pode ler um monte de livros diferentes, às vezes que você nem conhecia, de graça; com espaço para sentar, estudar, (já advoguei a favor delas aqui e aqui, não preciso propagandear mais … por enquanto, hihihi).
Então porque, logo eu que penso assim, tenho tanta gana em gastar dinheiro que não tenho/não devo com livros? Que exemplo, né? Tsc tsc…
Fui dar uma olhada no acervo (acesso virtual aqui) da Biblioteca Pública do Paraná (BPP) aqui em Curitiba, e fiquei de boca aberta! Fora o Farol do Saber que tem na praça ATRÁS DA MINHA CASA (e é meu objeto de estudo do mestrado, vai vendo)Bora frequentar a biblioteca pública, então?

Projeto literário 3: Six Nobel’s

PREMISSAS:

– Autores que eu ainda não tenha lido

– Que eles sejam de países diferentes

– Que o livro escolhido esteja no acervo da BPP (juntar dois projetos, que belezura!)

Eu ia fazer o projeto lendo o Pulitzer, e não o Nobel.

(Para quem não conhece os prêmios, dê uma olhada na wiki, Nobel e Pulitzer)

A vantagem do Pulitzer é exatamente que o LIVRO é considerado bom, o melhor daquele ano, pelos critérios julgadores. O Nobel é um prêmio pelo conjunto da obra do autor: suas ideias, estilística – e, por isso mesmo, faz muito mais sentido (ao menos EU acho) quando você pode ler mais de uma obra do autor agraciado, para pegar melhor esse “apanhado” pelo qual ele mereceu o troféu.

MAS eu sou do contra, e cismei que quero ler Nobel. Então eu VOU LER Nobel.

E os escolhidos sãaaaao (rufar de tambores:) – Autor, país de origem, ano em que foi agraciado

Hermann Hesse – Alemanha – 1946

Alice Munro – Canadá – 2013

Shmuel Yosef Agnon – Israel – 1966

Patrick Mondiano – França – 2014

Octavio Paz – México – 1990

Isaac Bashevis Singer – 1978

Projeto literário  4: Leia + Nacional

PREMISSA: Que seja brasileiro ou naturalizado. E preferencialmente, que eu tenha em casa, ou tenha na BPP 😛

Eu já estava sentindo necessidade de ler mais livro de autores daqui. Eu sempre fui leitora ávida de livros estrangeiros, e torci o nariz para os nacionais. Para o “Dom Casmurro” que a professora me obrigou a ler, para a “Iracema”. Sou mais fã dos recentes do que dos clássicos, me julguem. Acho que obrigar criança a ler esse tipo de livro é um desserviço, pro pequeno ser humano pegar nojinho não custa.

Só voltei a ler nacional quase no final do segundo grau, quando tive que ler “O quinze”, da Queiroz, e me apaixonei.

Essa lista é a mais difícil de montar, tenho muitas indicações e conheço pouco dos autores. Essa é a que mais pode ser modificada no decorrer do ano. Mas, a princípio:

– Hilda Hist (porque estou paquerando esse fazem séculos): Contos D’escárnio

– Daniel Galera: talvez o Barba ensopada de sangue, que já comecei e larguei trocentas vezes

– Luisa Geisler – quero incluir mais mulheres também *_*

– Tatiana Salem Levy: A chave de casa

– Milton Hatoum: Dois irmãos (quero, em HQ e em livro)

– Antonio Carlos Viana: Jeito de matar lagartas

Projetos não literários de 2016

– Terminar o mestrado: inclui qualificar agora em janeiro, fazer a pesquisa de campo, escrever algo decente, e defender – antes do meio do ano, por favor

– Escrever & Publicar (saca Seek & Destroy? ^.^): eu já estive na área acadêmica, já dei aula em universidade federal. E quero muito voltar para lá… mas para isso, eu preciso publicar mais, preciso provar que “sei pensar” academicamente, rs

– Voltar a produzir na minha área: vide o tópico acima, mas vai além. Não é só publicar, é participar das discussões da minha área, através de fóruns, palestras…

E é isso aí!!! Quais são os planos de vocês? Perder 10 kg? Parar de fumar? Me contaí, quem sabe a gente não se ajuda?

VEM NI MIM, 2016, que tô te esperando já!!!

2 comentários

  1. Essa não é a autora do “… Kevin”? Esse eu li, mas ainda não conheço muito dela. Se vagar espaço na agenda eu com certeza vou procurar, obrigada pela dica ;
    Boas leituras para você (incluindo a que estou te enviando, viu? rsrs), um 2016 proveitoso 🙂

    Curtir

  2. Adorei seus projetos e desafios literários. Eu continuo tentando ler 50 livros (esse ano foram 40, quase hein!?) E começarei o “Lendo Lionel Shriver” que consiste em ler tudo que ela já publicou, já possuo todos os livros, alguns em inglês por não terem sidos publicados por aqui. Aliás, já deixo minha sugestão, caso não conheça Lionel Shriver, faça o favor de ler algo dela, que é minha autora contemporânea favorita, ainda não ganhou um Noble nem um Pulitzer, mas acredito que ainda ganhará (ela merece!!! – e eu já disse que você precisa ler algo dela?), ela venceu o Orange Prize, e criticou o fato de existir um prêmio exclusivos para autoras, já que autoras estão entre as vencedoras do Noble ou do Pulitzer com menos frequência que autores. Minha outra meta é ler o que eu estiver afim, esse ano de 2015 não consegui cumprir nem metade da meta, acho que não sou um cara das listas. E realmente, os leitores, de um modo geral, precisam ler mais literatura nacional, eu tbm tentarei ler mais!
    Ótimas leituras e boa sorte com os projetos para 2016! \0/

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s