Livros lidos: Agosto e Setembro 2016

Capa do livro tá todo mundo mal, de Jout JoutTítulo: Tá todo mundo mal

Autor: Jout Jout

Ano: 2016

Pg.: 200 p.

Editora: Companhia das Letras

Livro digital

Sinopse: ‘Do alto de seus 25 anos, Julia Tolezano, mais conhecida como Jout Jout, já passou por todo tipo de crise. De achar que seus peitos eram pequenos demais a não saber que carreira seguir. Em Tá todo mundo mal, ela reuniu as suas “melhores” angústias em textos tão divertidos e inspirados quanto os vídeos de seu canal no YouTube, “Jout Jout, Prazer”.
Família, aparência, inseguranças, relacionamentos amorosos, trabalho, onde morar e o que fazer com os sushis que sobraram no prato são algumas das questões que ela levanta. Além de nos identificarmos, Jout Jout sabe como nos fazer sentir melhor, pois nada como ouvir sobre crises alheias para aliviar as nossas próprias!’

OPINIÃO: Sim, me julguem: tenho “preconceito” com livros de youtubers, por motivos que não vem ao caso. Mas o da Jout Jout eu realmente queria ler, e realmente me identifiquei muito. Temos quase a mesma idade, passei por muitas situações semelhantes, e consegui rir até das piores lembranças da minha adolescência. Minhas crises são tão frequentes – crises de tudo, absolutamente – que não tem como não me ligar nas palavras dela (eu sou MESTRA em achar pelo em ovo, M-E-S-T-R-A!)

Capa do livro Longe do Brasil, de Lévi-Strauss

Título: Longe do Brasil

Autor: Claude Lévi-Strauss

Livro digital

Sinopse e Opinião: Aqui no link, ó

 

Capa do livro Ímpio - evangelho de um ateu

Título: Ímpio: o evangelho de um ateu

Autor: Fábio Marton

Ano: 2016

Pg.: 200 p.

Editora: Companhia das Letras

Livro digital

Sinopse: Um menino pastor torna-se um bem-sucedido e cético jornalista e resolve revelar todo o processo que o induziu ao caminho da fé durante a infância. Se você é um ateu inconformado com a lavagem cerebral provocada por certas instituições religiosas e com o fanatismo de alguns indivíduos, que incansavelmente buscam convertê-lo – um ímpio! –; se você crê em Deus, e por isso não suporta a ideia de ver seu nome violado por interesses diversos; ou se você não sabe em que acreditar em meio a tantas profanações, este livro é para você. Em Ímpio, você conhecerá os bastidores de algumas instituições religiosas e o seu processo missionário, o dia a dia dos fiéis, e, principalmente, terá argumentos contra aqueles que buscam convertê-lo. E tudo isso por meio de um texto lúcido – pois, para Fábio Marton, duvidar é apenas “seguir o que Jesus recomendou” – e sem preconceitos: afinal, a filosofia, a ciência e a política também têm seus falsos profetas, seus “lobos devoradores”.

OPINIÃO: Eu sempre me interesso por livros de debate religioso, mais especificamente o debate da não-religião, ou do porque algumas religiões não funcionam. O livro começou bem, com as explicações sobre as diferenças entre cada Igreja protestante, o comentário que a Católica não é considerada Cristã pelos evangélicos em geral (whaaat??) e mais algumas considerações. Um engano enorme definí-lo como “menino pastor”, coisa que ele nunca foi. Pregou duas ou três vezes, com aquela convicção infantil, e nada mais (tem crianças por aí que pregam profissionalmente, isso sim são meninos-pastores para mim…). Quando ele vai ficando mais velho, e aparecem a velha rebeldia adolescente (e a clareza que a juventude traz, obviamente) o livro se torna desinteressante, ele perde a mão no momento de contar o que aconteceu e a perda de sua fé. Para mim, valeu até a metade; do meio pro final achei meio “nhé”.

Capa do livro Um país sem excelências e mordomiasTítulo: Um país sem excelências e sem mordomias

Autor: Claudia Wallin

Ano: 2014

Pg.: 344 p.

Editora: Geração Editorial

Livro digital

Sinopse: Ler este livro é algo obrigatório para todo deputado, senador, ministro, juiz, desembargador, governador, presidente, secretário, prefeito, vereador. E sobretudo para o eleitor. Para ele, é quase um guia de sobrevivência na selva da política brasileira. Claudia Wallin trata da Suécia mas é impossível não pensar no Brasil a cada parágrafo. Com cinismo, cólera, amargura. Ou com esperança. Porque não? Afinal, prova que existem políticos que desconhecem o tratamento de “Excelência”. Que não tem mordomias, não aumentam seu próprio salário, não tem gabinete próprio. Que usam transporte público e não estão na vida pública para fazer fortuna. E que respeitam – e muito o eleitor. Um sistema apoiado em três pilares: transparência, escolaridade e igualdade. Um dia, quem sabe, chegaremos lá. Ler e se envergonhar com estas páginas pode ser o começo.

OPINIÃO: Eu terminei de ler esse livro, e quis chorar. Eu tenho muitas reflexões sobre a inerências de certas características aos seres humanos, e tenho vontade de correr e me isolar no meio do mato. É óbvio que nenhuma sociedade é perfeita, os homens não são; mas algumas são menos piores que as outras. O livro conta como a Suécia é hoje, como era há século e meio (uma dica: corrupção daqui é fichinha perto da deles na época), e como foi efetuada essa transição entre a corrupção explícita e os menos índices de corrupção do mundo. Você ver vereadores falando que não recebem, pois podem trabalhar apenas 5 horas por dia; sem gabinetes e auxílios múltiplos; deputados sem uma penca de assessores – pagos com o dinheiro público – e sem 90 dias de recesso por ano. Dói de ler e olhar ao meu entorno. E no final, quando você já está bem impactado, ainda tem um capítulo, escrito por autores convidados, explicando a política brasileira. Terminei o livro pensando na urgência com que preciso aprender inglês – uma boa opção para sair daqui no futuro…

Capa do conto Banquete para fantasmasTítulo: Banquete para fantasmas

Autor: M. N. Schweitzer

Pg.: 28 p.

Editora: Publicação independente

Livro digital

Sinopse: Esta estória pertence a uma série continua de antologias que se passam sempre no mundo fantástico chamado Morserus, onde não existe nem nunca existiu humanos. Em seu lugar, animais antropomórficos divididos entre cinco grandes nações que se formaram durante a Dinastia do Leão Branco.

OPINIÃO: Conto para baixar de grátis na Amazon, baixei e li em, sei lá, 10 minutos. Agradável, achei simpático. Não li nenhuma outra história dessa antologia, mas a construção espaço temporal é bem interessante: houveram diferentes dinastias, onde certos grutpos de animais reinaram por certo período (a dinastia dos porcos, dos leões, dos gatos). A história em questão se passa quando um Gato, que trabalha em um serviço de encontrar e eliminar problemas mágicos, é convidado (por um rinoceronte, olha que beleza!) a atender uma madame que tem seu banquete frequentado por fantasmas. Vale a lidinha, é bem rápido.

Capa do livro O médico e o monstro, de Robert Louis StevensonTítulo: O estranho caso do Dr. Jekyll e Mr. Hyde

Autor: Robert Louis Stevenson

Livro digital

Sinopse e Opinião: Aqui no link, ó

2 comentários

    • É, uma loucura, né? Já tentei fazer mês “temático”, mas o máximo que eu consegui foi ler vários livros seguidos de uma mesma editora (de forma totalmente não planejada, é claro, rsrs).

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s