5 livros que estou enrolando para ler

Alguns livros, por mais que estejam nas nossas listas de leituras, são sempre colocados de lado. E não a gente não goste deles, ou das temáticas, ou dos autores; muito pelo contrário! Mas a impressão é sempre de “hora errada” para ler aquele título: porque ele é pesado, porque é leve demais; porque temos medo de ler e não corresponder às expectativas; de ler e pensar demais.

Na lista, alguns dos livros que eu vivo falando que vou ler, coloco e tiro do kindle com frequência, mas ainda estão me esperando!

Capa do livro Holocausto Brasileiro, de Daniela Arbex

  • Holocausto Brasileiro

A temática do livro é contundente e urgente, mas pesada: o tratamento dos brasileiros em hospícios e manicômios. Difícil pensar nos maus tratos, nos usos das pessoas como cobaias para os mais variados – e insalubres – tratamentos. Especialmente difícil quando você conhece pessoas que já estiveram/estão internadas em local semelhante por algum motivo. Estou reunindo coragem, eu sempre choro hor-ro-res, me dói, me faz perder a fé na humanidade. Mas é importante não esconder embaixo do tapete, e só DOENDO nas pessoas para que esse descaso e o enorme desrespeito acabem.

Capa do livro Vozes de Tchernóbil, de Svetlana Aleksiévitch

  • Vozes de Tchérnobil, Svetlana Aleksiévitch

Outro que vai me fazer chorar. Li o primeiro depoimento que aparece no livro na biblioteca em que eu trabalhava, na Revista Piauí (edição 114, março 216, clica aí para ler também), e já fiquei daquele jeito, né? Uma dor profunda, daquelas que te faz idealizar concretamente o quanto é besta ficar choramingando porque o filme que você quer não está no cinema perto da sua casa. Mesmo comparado com coisas mais sérias, como “porque não fiz a faculdade de história ao invés de economia”. Troço à toa, perto dos problemas de todo um país e uma geração.

Capa do livro Por que gritamos golpe?

  • Por que gritamos Golpe?

Livro sobre o impeachment, sobre conjunturas políticas, sobre posturas éticas (ou não). Complicado de ler, ao menos para mim. Tenho uma visão política meio maluca sobre as coisas, e sempre entro em conflito (interno e externo) com algumas opiniões. Não gosto de utopia, prefiro tapa na cara com realidade. Não sou a favor de golpe, não sou de direita; mas só “ser de esquerda” não resolve os problemas, e existem maçãs podres em qualquer cesta. Tá tudo uma merda, parece que as reformas necessárias nunca conseguirão ser efetuadas, tem gente que gosta de se fazer de vítima (em ambos os lados, diga-se de passagem), e eu tô com medo de me irritar muito lendo esse livro. Mas vou ler! Uma hora dessas, em breve.

Capa do livro A colônia, de Ezekiel Boone

  • A colônia, Ezekiel Boone

Então; eu tenho aracnofobia, desde que me lembro por gente. PAVOR define. Nem aquelas arainhas de banheiro, de pernas finas eu aceito. Certa vez quando cheguei em casa tinha uma aranha meio grandinha entre o portão de fora e a porta. Eu saí, fechei o portão, sentei do outro lado da rua, e esperei alguém chegar para tirar ela de lá. Ao meu entender, qualquer aranha tem mobilidade suficiente para pular de onde quer que ela esteja em meu raio de visão NA MINHA CARA. Então PQ RAIOS eu quero ler esse livro? Não me pergunte. Masoquismo, provavelmente. Mas eu gosto muito de livros de terror/horror, e eu realmente me interessei pela história desse – posso fingir que são outras coisas, como escorpiões, talvez? Se nas primeiras cenas eu já tiver pesadelos, eu desisto. Isso quando eu tiver coragem de ler, óbvio 😛

Capa do livro As veias abertas da América Latina, de Eduardo Galeano

  • As veias abertas da América Latina, Eduardo Galeano

Eu sempre gostei de estudar história. SEMPRE. Desde antes de saber que isso era disciplina de colégio, desde que meu pai me contava mitologia grega. Eu gosto especialmente de história europeia e grandes guerras – marido também se amarra, o que quer dizer grande quantidade de livros sobre o tema. Mas depois de crescida – e com um pouco mais de cérebro – eu passei a prestar atenção ao meu redor, e PUTZ, por que nós não estudamos decentemente a América Latina? Por que os heróis nacionais latinos (Bolívar, San Martín) são tão conhecidos pelos nossos colegas de continente e o Brasil simplesmente ignora? Por que ninguém conhece a Guerra do Uruguai, onde o nosso amado país dizimou mais de 80% da população masculina de lá – e adoramos nos fazer de vítima (sobre nossa hispanofobia, recomendo os textos do Alex, links aqui e aqui). Que o Chile tem universidades desde 178X, e a gente ainda se acha o máximo… Decidi mudar isso, essa ignorância acumulada e quase proposital, e desde então meu interesse pela história latina só tem aumentado. Esse livro precisa ser lido com atenção e tempo, para ser pesquisado e digerido.

E vocês, algum livro que enrolam para ler?

2 comentários

  1. To pra ler Holocausto Brasileiro há tempos… ainda não tive coragem. Mas este ano li Quarto de Despejo, mais um que eu sempre enrolava, e foi uma experiência ótima. Mas, ainda assim, creio que Holocausto Brasileiro vai mexer mais comigo quando eu ler… Esse da Colônia tenho visto muita foto no instagram, claro que pela temática fico curiosa, né? ahhahaha
    Quando ler, posta se der, amo suas resenhas!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s