Seja gentil

Cartaz de rua escrito "Seja gentil, obrigado."

Seja gentil com as pessoas.

Ao contrário de tudo que penso e do que falo às vezes; confrontando minha vontade de renegar a humanidade, de chutar a bunda das pessoas. Ao contrário de como ajo parte das vezes, é verdade.

Não precisa ser amoroso, carinhoso, meloso. Só gentil.

Se não puder ser gentil, seja polido. É o mínimo.

Se nada do que você for falar for construtivo, agradável, ou para ajudar, não abra a boca. Se abstenha. Saia de perto. O silêncio é melhor do que a alternativa.

Se puder ser educado, bom também. Um cumprimento não mata, e às vezes até alegra o dia.

Você não sabe o que as pessoas à sua volta estão passando. Você não sabe se o seu comentário mau-humorado ou maldoso ou desnecessário vai ser a pá final de terra no dia daquele ser humano; nem do que já se passava na cabeça dele, e as consequências que duas palavras podem trazer. Ou se o “Bom dia” polido que você der vai restaurar a fé daquela pessoa na humanidade.

Então, se puder, seja gentil.

Pensamento aleatório durante a leitura do “Conto de Dezembro”, de Neil Gaiman (livro Alerta de Risco)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s