Imagem do universo - matéria escura

Matéria escura, Blake Crouch

Capa do livro Matéria escura, de Blake Crouch

Título: Matéria escura (Dark matter)

Autor: Blake Crouch

Editora: Intrínseca

Páginas:  352 p.

Ano: 2017 (1.ed. 2016)

Formato da leitura: Livro digital

Sinopse“VOCÊ É FELIZ COM A VIDA QUE TEM?” Essas são as últimas palavras que Jason Dessen ouve antes de acordar num laboratório, preso a uma maca.  Raptado por um homem mascarado, Jason é levado para uma usina abandonada e deixado inconsciente. Quando acorda, um estranho sorri para ele, dizendo: “Bem-vindo de volta, amigo.” Neste novo mundo, Jason leva outra vida. Sua esposa não é sua esposa, seu filho nunca nasceu e, em vez de professor numa universidade mediana, ele é um gênio da física quântica que conseguiu um feito inimaginável. Algo impossível. Será que é este seu mundo, e o outro é apenas um sonho? E, se esta não for a vida que ele sempre levou, como voltar para sua família e tudo que ele conhece por realidade? Com ritmo veloz e muita ação, Matéria escura nos leva a um universo muito maior do que imaginamos, ao mesmo tempo em que comove ao colocar em primeiro plano o amor pela família. Marcante e intimista, seus múltiplos cenários compõem uma história que aborda questões profundamente humanas, como identidade, o peso das escolhas e até onde vamos para recuperar a vida com que sonhamos.

Opinião: O que você faria se pudesse ver cada ramificação que as decisões que você tomou (ou deixou de tomar) tiveram?

Esse livro me pegou de surpresa. Estou em um momento muito complicado, lidando com crises de ansiedade meio pesadas; e minha ansiedade é, e sempre foi, fruto do desespero de tentar antecipar os resultados das minhas decisões. Você já se viu paralisado tentando enxergar até onde o que você decidiu hoje vai afetar sua vida daqui há dez anos? 30? o resto da sua vida?

Não?

Sorte a sua, isso acontece comigo o tempo todo, especialmente em situações de estresse elevado – como a que estou passando agora. Não conseguir sair do lugar tentando enxergar até onde uma decisão aparentemente simples pode afetar minha vida. E se eu não tivesse largado a faculdade pela primeira vez, em 2007? Se eu tivesse decidido não ficar com quem é hoje meu marido? Ou se tivéssemos terminado na primeira crise? E se eu não tivesse mudado para Curitiba? E se não tivesse arriscado em assumir o concurso no RJ sem me mudar para cá? E se? E SE?

Por esse monte de perguntas, a sinopse do livro me chamou atenção instantaneamente. A identificação foi total e completa, e eu só queria saber onde essa história iria parar.

Acompanhamos Jason. Físico, professor universitário, vida familiar OK (esposa e filhos). Nada muito desafiador. Um dia ele recebe a notícia que um amigo da faculdade recebeu o prêmio-master em sua área, e repensa brevemente suas escolhas: poderia ter feito diferente? Poderia ter feito mais? Ele, jovem tão promissor na área, não devia ter escolhido outros caminhos?

De repente acontece uma situação que muda tudo (nada de spoiler!). E nessas horas, como saber o que é sua imaginação e o que é real? Se você lembra de ter uma vida, abrir os olhos e ter outra, como distinguir o que é real ou não? Me recorda diversos filmes e séries, como “A Origem”, “Awake”, o meloso “Um homem de família”, e mais um que não vou falar qual, para não dar uma megabandeira 😛

Mais do que da trama, pura e simplesmente, eu gosto das explicações científicas para as coisas que acontecem (como adorei a explicação sobre a dobra espacial no “Guerra do Velho“), partindo de um princípio conhecido e extrapolando.

Logo no início – início mesmo, tipo 7% do livro (li no kindle, povo, perdoaê) – a trama entra em um ritmo alucinante (perdoem o clichê, mas é verdade, eu juro!), que não arrefece, que não diminui, e me deixou virando as páginas sem desgrudar (esqueci de fazer janta 😀 )… resultado: comecei & acabei o livro, hoje. E não é um livrinho fininho, hein!

Muitos questionamentos, muita coisa para pensar, muita filosofia, psicologia. Não deixa de tentar passar aquela liçãozinha básica de moral, mas é bom! E quando eu achei que sabia como as coisas iam se encaminhar, já tendo passado dos 70%, o autor ainda conseguiu me surpreender – com algo previsível, até, mas que eu fiquei tão envolvido com a trama que não percebi o desenrolar 😛

Se recomendo? Muitíssimo. Se você é fã de Scifi e distopias, vai deitar e rolar (eu acho, pelo menos).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s