2019 acabando e o blog também

2019 tá acabando – e…?

2019 tá acabando.

Eu achei que esse ano não ia acabar NUNCA. A vida pessoal foi um caos, mas não como a política nacional, obviamente. E a internacional, com a América Latina ON FIRE.

Eu havia começado o ano fazendo uma lista dos absurdos do governo para ir contabilizando, mas desisti. Não estava me levando a lugar nenhum, e parece que ninguém está se importando muito.

Teve incêndio na Amazônia; teve desmonte de todas as políticas públicas de inclusão, teve ministros que odeiam as áreas em que estão (educação, cultura, economia) – inclusive, teve mais troca de ministro que troca de roupa. E cortes. Educação, cultura, economia. Direitos. Teve muito miliciano, escândalos da Marielle, negros morrendo mais que nunca. Mulheres apanhando mais que nos últimos anos. Teve óleo nas praias do nordeste.

Teve mudança na lei de transparência (para ficar menos transparente, obviamente); teve Damares (não gosto nem de escrever esse nome). Teve Future-se, pelamor. Teve muita diarreia verbal (Inclusive, olha que espetacular a CHECAGEM dos fatos dos discursos do atual presidente nesse site, sério, vale olhar).

O que eu fiz/tentei fazer?

Tentei me informar. Ler, estudar, debater. Ler MUITO. Já falei ler? Teoria feminista (vertentes, organização, impactos), teoria política (sociedade de bem viver, decrescimento, anticapitalismo). Sendo muito sincera, muitas vezes chorando. Cansada. Passando dias sem querer ler nada pq não tenho mais esperança na humanidade, pq quero é que o mundo se exploda, que venha uma nova gripe espanhola (que seja tipo o Thanos, que elimine metade da população mundial).

Mudei o nome do bloguinho, comecei a “cuspir” algumas informações (e raiva!), mas, vamos considerar, que diferença isso faz? Meu mini-público aqui não se pronuncia sobre, são os posts com menor número de views. Eu não vou fazer propaganda no instagram, não vou “investir” em rede social. Mas, para mim, não adianta nada ficar lendo e me informando, e mudando as ideias, e… só. Toda essa informação tá indo pra onde? Para fazer o que? Serve pro quê? Ficar “gritando” nas redes sociais, como se isso fosse influenciar alguma coisa? Cadê a prática, cadê a práxis??

Eu não tenho nem tido disposição para compartilhar mais. Por vezes acho que não adianta mesmo; por vezes só não me importo. Pessoas falando de indignação nos comentários do vídeo do Gregório no youtube – aí você convoca uma marcha em prol de qualquer das bandeiras levantadas e… vazio. Nada, nada.

Eu não faço ideia do que vou fazer em 2020. Pretendo me aprofundar mais em certas teorias, mas estou catando grupos de estudo/práxis (se quiser me recomendar algum online/em Curitiba, tô aceitando indicações). Colaborar com algum portal maior. Ir mais pra rua, tomar posse do espaço público (que é nosso!!).

E possivelmente, eliminar esse blog. Pensei em criar outro, voltado para o conteúdo que têm me ocupado o cérebro, mas não iria dar certo: eu sou plural. EU não consigo escrever sobre um só tema, se tantos me chamam atenção; não consigo fazer conteúdo para uma só área, quando todas estão interligadas. Não consigo me abster dos outros conteúdos, ou de falar sobre alguma besteira, junk reading. Não dá para separar minha “holisticidade”, rsrs.

Então, caso você, meu caro leitor fiel (um dos 12, beijo!) chegue e a página esteja indisponível, já sabe, né? Eu sempre falei que se eu atingir UMA pessoa eu já estou feliz – mas uma hora a gente desanima de falar com as paredes, né? A forma de consumo de informação via internet hoje é outra coisa que estou repensando bastante.

É isso! Se você já me acompanha há tempos, eu agradeço. Te convido a pensar no que vai fazer no próximo ano também, ao invés de ficar sentado no sofá olhando o desmonte das nossas políticas, do meio ambiente, dos direitos adquiridos com tanto suor (no sofá e reclamando no twitter, e saindo por aí orgulhoso falando que é muito militante, rsrsrs). Se você chega no bloquinho ocasionalmente, via google, procurando alguma postagem específica.. bom, com você eu não preciso falar, que você não vai ler esse post mesmo 😛

Estou repensando meu uso de redes e afins, mas se alguém tentar me achar, provavelmente será como Paulla Pereira, ou Paulla Rosane (assim, com dois eles mesmo, meu nome é “chique, benhê”!).

A gente se esbarra, e… a luta continua!

2 comentários

  1. Pois é, eu realmente não sei o que pensar e esperar de 2020.
    Esse ano eu não consegui fazer absolutamente nada. A raiva e indignação por tudo me deixou paralisada, nem ler a ansiedade deixou =(

    Curtir

  2. Apesar de eu não comentar muito (por motivos de vergonha mesmo 🙈), eu gosto muito dos seus posts. Principalmente dos mais recentes. Vou ficar bem triste se você decidir mesmo eliminar o blog, mas acho que você deva fazer o que te deixar mais feliz. 💚
    E eu também tenho me sentido assim. Fico entre esquecer de blog e redes sociais e continuar espalhando a mensagem que quero passar. É bem difícil quando a gente sente que tá falando pras paredes…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s