Resenha do livro Ideias para adiar o fim do mundo, de Ailton Krenak

Ideias para adiar o fim do mundo, Ailton Krenak

Capa do livro Ideias para adiar o fim do mundo, de Ailton Krenak

Título: Ideias para adiar o fim do mundo

Autor: Ailton Krenak

Editora: Companhia das Letras

Páginas: 88 p.

Ano: 2019

Formato da leitura: Livro físico

Sinopse: Ailton Krenak nasceu na região do vale do rio Doce, um lugar cuja ecologia se encontra profundamente afetada pela atividade de extração mineira. Neste livro, o líder indígena critica a ideia de humanidade como algo separado da natureza, uma “humanidade que não reconhece que aquele rio que está em coma é também o nosso avô”.
Essa premissa estaria na origem do desastre socioambiental de nossa era, o chamado Antropoceno. Daí que a resistência indígena se dê pela não aceitação da ideia de que somos todos iguais. Somente o reconhecimento da diversidade e a recusa da ideia do humano como superior aos demais seres podem ressignificar nossas existências e refrear nossa marcha insensata em direção ao abismo.

Opinião: Um livrinho pequeno, em formato de bolso, de um azul tão bonito. Bom pra dar de presente, sabe? Preço em conta e cara de inofensivo – mas ótimo para provocar desgraçamentos da cabeça 😛 “Ideias” reúne a transcrição de duas palestras proferidas em Lisboa, nos anos de 2017 e 2019.

Sabe tudo aquilo que você, capitalista econômico liberal e ser não-pensante, acha que é frescura, misticismo ou falta de visão de negócios? Coisas como respeito à natureza, ao meio ambiente, às diferenças entre os povos, construção social… sabe? Pois é, é isso que Krenak nos lembra. Que devemos parar de nos ver como seres separados da natureza, pois nós SOMOS natureza, tanto quanto as plantas, quanto os bichinhos, a chuva. Somos parte do ciclo, e isso de nos vermos em separado só está piorando nossas condições.

Como justificar que somos uma humanidade se mais de 70% estão totalmente alienados do exercício mínimo do ser? A modernização jogou essa gente do campo  da floresta para viver em favelas e em periferias, para virar mão de obra em centros urbanos. (p.14)

Particularmente, na minha humilde opinião, “isso se chama-se” burrice seletiva. Pessoas tão inteligentes, que aprendem contas matemáticas complexas, engenharia… não quererem entender que queimar a Amazônia pensando no lucro de curto prazo é o que vai fazer os ciclos de chuvas, os rios aéreos, os subterrâneos e todo o organismo sistêmico entrar em colapso. Porque é óbvio que eles NÃO QUEREM entender, preferem ignorar. Admitir a situação os faria ter que parar e pensar em soluções, e isso dá trabalho, né? Afinal, eles precisam de milhões nos bolsos deles, como ficar sem os milhões??

Estamos num encaminhando para um beco, construído bloquinho por bloquinho por nossas necessidades de mercado. Para suprir necessidades que não tínhamos, com coisas das quais não precisamos, numa quantidade numa antes vista. As pessoas não percebem que, depois de certo ponto, não vai ter como voltar; não vai ter como despoluir, fazer uma floresta “nativa” reflorescer em tempo recorde, não tem lugar para jogar as garrafas pets que estão no oceano. Quando perguntam a ele como resistiremos, Krenak responde com uma das minha frases favoritas:

Em 2018, quando estávamos na iminência de ser assaltados por uma situação nova no Brasil, me perguntaram: “Como os índios vão fazer diante disso tudo?” Eu falei: “Tem quinhentos anos que os índios estão resistindo, eu estou preocupado é com os brancos, como que vão fazer para escapar dessa.” (p.31)

Leiam. Dêem de presente, especialmente aos que não querem pensar, não querem ver, preferem deixar as soluções para depois. Um tapa, sem luva de pelica, para ver se acordamos em nossas atitudes enquanto ainda dá para fazer alguma coisa.

PS. Eu, como pessimista sobre a humanidade, não acho que tem mais muito jeito pra esse povo aí não… mas seguimos tentando!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s